Conforme ficou combinado vou começar a dar alguma noções importantes dos graves erros que muito inadevertidamente fazemos no dia a dia. Alguns deles porque os instrumentos que utilizamos não são práticos quanto à sua utilização e o pendor  fanático de simplificar das novas gerações faz com que seja mais fácil deixar cair muitas das coisas importantes do que as ensinar ou perpectuar.

Passando por cima da “velhice”, eu que até escrevo na antiga ortografia, antes do Novo Acordo Ortográfico, vou tentar  dar sempre exemplos reais de como são importantes algumas das coisas que nos fazem dar sentido ao que escrevemos.

Hoje o tema é a pontuação. Aqueles danados dos pontos finais, das vírgulas, pontos de exclamação e outros malandros que nos cansam os dedos quando queremos enviar uma sms ou falar num chat…..

Vamos lá.

Era uma vez m homem muito rico que estava muito doente . Porque estava a sentir a negra sombra da morte a chegar pediu papel e caneta.

Escreveu assim:  

Deixo meus bens à minha irmã não ao meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres.

Morreu antes de explicar o que queria e infelizmente nem pensou em fazer a pontuação.

A quem deixava ele a fortuna?

Eram quatro concorrentes.

O sobrinho, rapaz letrado e universitário, foi o primeiro e fez a seguinte pontuação:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! Ao meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

A irmã satisfeita pelo lindo filho que tinha, chegou em seguida. Não gostando do que leu. Pontuou assim o escrito:

Deixo meus bens à minha irmã. Não ao meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

Chegou aos ouvidos do padeiro que o estavam a “entalar” sem quererem pagar uma conta antiga e ele pediu cópia do original. Puxou pela cabeça e, claro está, pela brasa à sardinha dele:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! Ao meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

Aí, chegaram os pobres da cidade. Um deles, esperto e sabido, fez esta interpretação:

Deixo meus bens à minha irmã? Não! Ao meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.

A solução desejada morreu com quem a escreveu. Assim é a vida. Nós é que fazemos a pontuação, colocamos os pontos nos iis e os traços nos tês.

Por aqui se pode ver quanto importante é por os pontos nos sitios certos, faça a experiência com um texto seu e veja quantas hipóteses finais tem. É tão simples.

E isto faz muita diferença na vida.

Mais em breve.

About Rui Lemos

Rui Lemos, nasceu em Lisboa, Portugal, em 1959, sempre foi empreendedor desde tenra idade. Esta sua tendência para o negócio deu-lhe uma visão desempoeirada da vida, pois sempre pensou pela sua própria cabeça. Fez o liceu em Oeiras, perto da praia o que veio também a influenciar o seu desejo de liberdade e de gozar o tempo de lazer. Fez serviço militar na Força Aérea Portuguesa, na área da electrónica, foi profissional da IBM por quase 20 anos, a sua carreira foi de técnico de computadores, a técnico de software até gestor, sendo formador do Instituto IBM, autor de manuais técnicos e de vários livros, entre eles o Best Seller com 23 edições “O Fundamental do Windows 3.1″, conheceu o marketing de rede em 1983, mas não foi financeiramente compensador, ficou só o "bichinho". Voltou ao MMN, em 2004, com a Bia Pomar, sua mulher, onde conheceu a Cesarina e o Silvio Fortunato. Fez parte do grupo fundador do Magnet System e do Inner Circle, com a Bia Pomar e o Rui Gabriel, sendo hoje um profissional do internet marketing e do marketing multinível, é autor de vários blogs entre eles www.RuiLemos.com, um blog que fornece dicas sobre internet marketing, marketing multinível, formação e empreendedorismo para profissionais ou amantes do internet marketing e www.escritamilionaria.com dedicado ao Copywriting, Content Management, SEO Copywriting. Foi co-fundador do grupo de internet marketers Lazy Millionaires League que se dedicam a ajudar os novos a encontrar o seu caminho, é também afiliado All In do Empower Network.


SEO Powered By SEOPressor