Vale a pena ter uma ajuda à mão para nos guiar nas decisões que tomamos na vida, sejam elas pessoais ou profissionais, quando estamos em transição para o mundo sem fins lucrativos vindo do mundo do lucro, ou quando fazemos uma mudança radical para um campo totalmente novo. A maioria de nós pode beneficiar se tiver um mentor ou patrocinador, perto de nós para nos ensinar, promover e encorajar.

O mais importante é saber o que pretende, para onde quer ir, qual o seu objectivo. Senão tiver presente o que quer da vida e quais são os seus sonhos, dificilmente poderá ter um mentor que o guie. Procure bem dentro de si, o seu PORQUÊ, e depois veja à sua volta quem está no patamar que pretende atingir. Pesquise-o, procure-o e ligue-se a ele.

Mas escolher a pessoa certa para ter ao seu lado não é sempre fácil. Pode encontrar alguém que o ajude na sua profissão, no seu negócio ou até na sua vida pessoal, mas só depois de saber o que quer pode avançar. Aqui estão doze passos para encontrar um mentor.

1. Pergunte a si mesmo o que pretende num mentor ou patrocinador. Será um especialista que o pode ajudar num negócio específico – um pedido de aumento de vencimento, ou digamos, uma maneira de produzir e embelezar a sua imagem com o fato apropriado para o sucesso? Quer alguém dentro do seu local de trabalho que tenha a experiência interna para ser um advogado do seu projecto ou promoção, ou alguém que possa actuar como um conselheiro e guia para o seu grande retrato?

2. Verifique com o seu grupo de trabalho se há algum grupo de mentores disponíveis. Muitas grandes empresas no mercado tradicional da Banca e algumas multinacionais, como a IBM, a Cisco, a Ernest & Young, e algumas outras, oferecem programas de mentoring. Os empresários independentes também têm nas organizações profissionais esses programas, em Portugal não conheço nenhuma que seja sem fins lucrativos, mas nos EUA existem organizações sem fins lucrativos que oferecem aos empreendedores e às pequenas e médias empresas esses serviços (ver www.score.org).
Mas os empreendedores do nosso ramo têm mesmo que seguir a máxima de encontrar um mentor dentro da sua empresa ou do grupo de trabalho. Felizmente que no caso do Magnet System, do INT e do Inner Circle, encontramos tanto em internet marketing como em marketing de rede, pessoas com saber e sucesso para poderem ser mentores.

3. Olhe para fora do escritório. A tutoria, como se diz em português, mas que por deficiência de linguagem, acho muito mais emblemática a palavra inglesa, mentoring, não tem que ser um “negócio” de relacionamentos. Pode (e deve) encontrar mentores fora do local de trabalho, nas associações a que pertence, nas actividades que está envolvido entre vizinhos e parentes, mas será melhor encontrá-los naqueles que quer copiar. Todos os que têm sucesso gostam de contribuir para que o saber seja partilhado.

4. Faça uma Pesquisa Avançada de Pessoas no LinkedIn. Pode procurar por alguém que seja seu alma mater. Laços de faculdade que se ligam. É só digitar um título e o nome da sua universidade, por exemplo, os actuais vice-presidentes de marketing e que estudaram na Universidade Católica. Pode concentrar a sua pesquisa na sua zona geográfica, ou cidade, para que se possa conectar com alguém próximo.

5. Considere um mentor mais novo. Pessoas com mais de 50 anos, por exemplo, podem querer trocar experiências com alguém que seja júnior na idade, mas que possa oferecer mais experiência e orientação quando se trata de novas áreas, como a tecnologia, onde eventualmente podem não ser tão fluentes.

6. Pratique o seu discurso “Porquê Eu”. Isto é como vender, a diferença é que se vai vender a si. Escolher um patrocinador exige auto-promoção. Deve soprar a sua própria corneta, as suas realizações, as suas intenções que o fazem ter uma maior atenção. De certeza que eles não vão dar suporte a alguém que não tem o potencial para ser um vencedor e que os faça parecer bem. Mantenha uma abordagem modesta.

7. Faça um pedido claro e formal. O convite “Será que pode ser o meu mentor?” pode ser rígido e despropositado. Soa a trabalho com demasiada responsabilidade. Este é um esforço interior. A principal razão pela qual maioria dos mentores e patrocinadores dizem que têm o tempo para aconselhar e ajudar é a satisfação intangível de retornar e pagar o que já fizeram por eles, em tempos idos. Comece por pedir, simplesmente, um conselho sobre uma acção ou problema.

8. Mostre-lhes como ajudar. Se realmente tem uma necessidade premente, mergulhe e faça um pedido específico, quando quer que alguém fale bem do seu nome. A maioria das pessoas não sabe por onde começar a ajudá-lo.

9. Torne-o divertido. Ao pedir, não o faça soar como um trabalho. Exale um sentimento de excitação, sorria um pouco. Orientação e patrocínio é uma oportunidade de aumento de energia para ambos, e que muitas vezes se transforma numa amizade. Encontre maneiras de se reunir regularmente, mesmo sem uma agenda urgente. Alimente a relação.

10. Faça algo por eles. Mostre a sua gratidão. Transforme a relação em reciprocidade, servindo como fonte de informação e apoio para o seu mentor, de alguma forma. É a estrada dos dois sentidos proverbial.

11. Seja um mentor. Isto lhe dará uma melhor ideia de como trabalhar com um mentor. Mesmo se esteja ainda na parte inferior da sua hierarquia a sua própria história, já é um exemplo, porque tomou esta ou aquela opção. Todos os seus sócios e parceiros que se estejam a iniciar são potenciais “alunos” para o seu trabalho de mentor.

12. Ouça. Se é o mentor ou aprendiz, pode cultivar a relação, fazendo perguntas e sinceramente ouvir as respostas. Às vezes, o mais importante de um mentor é dar feedback prático. Resista à vontade instintiva de reagir defensivamente.

 

Seja o que for que procura num mentor, tenha sempre a certeza que está dentro de si a solução. O facto de o flaramos em voz alta, na conversa com alguém mais experiente, faz-nos ver alguns prós e contras que talvez não tenhamos considerado.

Um mentor é quem nos guia para o caminho que queremos percorrer.

Façam o favor de serem felizes

 

 

About Rui Lemos

Rui Lemos, nasceu em Lisboa, Portugal, em 1959, sempre foi empreendedor desde tenra idade. Esta sua tendência para o negócio deu-lhe uma visão desempoeirada da vida, pois sempre pensou pela sua própria cabeça. Fez o liceu em Oeiras, perto da praia o que veio também a influenciar o seu desejo de liberdade e de gozar o tempo de lazer. Fez serviço militar na Força Aérea Portuguesa, na área da electrónica, foi profissional da IBM por quase 20 anos, a sua carreira foi de técnico de computadores, a técnico de software até gestor, sendo formador do Instituto IBM, autor de manuais técnicos e de vários livros, entre eles o Best Seller com 23 edições “O Fundamental do Windows 3.1″, conheceu o marketing de rede em 1983, mas não foi financeiramente compensador, ficou só o "bichinho". Voltou ao MMN, em 2004, com a Bia Pomar, sua mulher, onde conheceu a Cesarina e o Silvio Fortunato. Fez parte do grupo fundador do Magnet System e do Inner Circle, com a Bia Pomar e o Rui Gabriel, sendo hoje um profissional do internet marketing e do marketing multinível, é autor de vários blogs entre eles www.RuiLemos.com, um blog que fornece dicas sobre internet marketing, marketing multinível, formação e empreendedorismo para profissionais ou amantes do internet marketing e www.escritamilionaria.com dedicado ao Copywriting, Content Management, SEO Copywriting. Foi co-fundador do grupo de internet marketers Lazy Millionaires League que se dedicam a ajudar os novos a encontrar o seu caminho, é também afiliado All In do Empower Network.