Ter ou ser um mentor. Tenho sido abençoado com alguns grandes mentores. São inteligentes, experientes e sempre me falaram e aconselharam de coração nos meus melhores interesses. Alguns deles não eram nada suaves na conversa. Provavelmente cada pessoa acaba por obter o estilo do seu melhor mentor e o meu foi difícil porque às vezes era bruto e eu precisava dele.

Aqui deixo algumas coisas que os meus mentores me ensinaram sobre ser mentor para outros:

 O Mentor Tem 2 Ouvidos e 1 Boca – O Mentor Ouve Mais do Que Fala

1. Saiba Escutar

Os melhores mentores fazem muitas perguntas. Obtêm informações antes de fazer recomendações. Lembro-me de conversas com um dos meus grandes mentores, durante um tempo fez-me uma série de perguntas. No final do “interrogatório”, perguntei-lhe: “Bem, então o que achas que devo fazer?” A sua resposta foi muito perspicaz: “Já descobriste o que deves fazer; só não te comprometeste ainda a fazê-lo.”

Ele estava certo: As questões tinham clarificado e esclarecido os meus pensamentos, e ele levou-me através das opções para um plano de acção que era um caminho só meu. Em vez duma resposta, deu-me um caminho.

 

Um Mentor, como costumamos dizer “Não dá o peixe, ensina só a pescar”.

2. Guie, Não Faça

Os meus mentores podem ter recomendado que contactasse alguém, que lesse um livro, que visitasse uma exposição ou que mudasse o curso duma acção – mas, nunca fizeram a chamada por mim, nunca compraram o livro por mim, nunca me levaram a nenhuma exposição ou ditaram uma mudança do curso de acção. Tudo isso foi à minha responsabilidade.

De vez em quando algumas pessoas perguntam-me “Podes ser o meu mentor?”. A primeira coisa que faço é dar-lhes uma tarefa para fazer. Qualquer coisa simples: Escreve uma página sobre o que queres, como será medido o sucesso e por que me escolheste a mim, em vez de outra pessoa. Se eles começam a responder, eu cortá-los e simplesmente dizer, “Escreve isso num email e envia-mo daqui a uma semana antes das 17h.

O interessante: é que muito, mas muito poucos completam a tarefa. Porquê? Porque pensam que “tendo um mentor” é uma maneira fácil de ter uma pessoa sénior e com experiência a trabalhar por e para eles.

 Um Mentor aconselha Mais Acção e Menos Conversação

3. Foco na Acção

O que me leva à coisa mais importante que os meus mentores me ensinaram: A agir. A Ter acção. De todas as vezes falamos sobre um problema ou na avaliação e apreciação dum plano, os meus mentores querem saber qual é a acção que vou tomar – e quando a vou fazer. Quem tem tempo para treinar e ajudar a desenvolver as pessoas que NÃO vão fazer algo que seja do seu próprio interesse?

Eu sei que o sucesso que tenho, o devo, em grande parte, por causa do apoio dos meus mentores; Também tenho o privilégio de ser um mentor e orientador para algumas outras pessoas. Pode ser muito gratificante, mas ajuda ter uma compreensão clara dos papéis de ambas as pessoas na relação de mentor.

Se desenvolves internet marketing ou marketing de rede e queres ter um mentor profissional que te dê aquilo que te falta para teres sucesso, vê o que este grupo revolucionário de pessoas está a fazer. Se tudo isto é uma novidade para ti e te despertou a curiosidade de aprende, recebe 8 Vídeos grátis que te explicam tudo duma forma simples.

Vê aqui o testemunho de quem está no caminho para o sucesso. E escolhe o teu Mentor.

Membro Fundador do Inner Circle

 

About Rui Lemos

Rui Lemos, nasceu em Lisboa, Portugal, em 1959, sempre foi empreendedor desde tenra idade. Esta sua tendência para o negócio deu-lhe uma visão desempoeirada da vida, pois sempre pensou pela sua própria cabeça. Fez o liceu em Oeiras, perto da praia o que veio também a influenciar o seu desejo de liberdade e de gozar o tempo de lazer. Fez serviço militar na Força Aérea Portuguesa, na área da electrónica, foi profissional da IBM por quase 20 anos, a sua carreira foi de técnico de computadores, a técnico de software até gestor, sendo formador do Instituto IBM, autor de manuais técnicos e de vários livros, entre eles o Best Seller com 23 edições “O Fundamental do Windows 3.1″, conheceu o marketing de rede em 1983, mas não foi financeiramente compensador, ficou só o "bichinho". Voltou ao MMN, em 2004, com a Bia Pomar, sua mulher, onde conheceu a Cesarina e o Silvio Fortunato. Fez parte do grupo fundador do Magnet System e do Inner Circle, com a Bia Pomar e o Rui Gabriel, sendo hoje um profissional do internet marketing e do marketing multinível, é autor de vários blogs entre eles www.RuiLemos.com, um blog que fornece dicas sobre internet marketing, marketing multinível, formação e empreendedorismo para profissionais ou amantes do internet marketing e www.escritamilionaria.com dedicado ao Copywriting, Content Management, SEO Copywriting. Foi co-fundador do grupo de internet marketers Lazy Millionaires League que se dedicam a ajudar os novos a encontrar o seu caminho, é também afiliado All In do Empower Network.